Os vilões que podem roubar o seu prazer em beber um vinho!

“Vilões do vinho”.

Pois é.

Existem alguns alimentos e hábitos que não combinam bem com vinho.

Essas “regrinhas” são argumentos que indicam quando um alimento irá se sobrepor ao vinho ou vice-versa.  No caso dos hábitos, mesma coisa. Um hábito não pode interferir na degustação de modo a desequilibrá-la. Harmonização é casamento.  Tem que haver harmonia, integração e equilíbrio.

IDENTIFICAR VILÕES NÃO É TÃO COMPLICADO QUANTO PARECE

Então, por exemplo, o limão. Limão é ácido, vinho é ácido – não combina, não se complementam. Pickles, mesma coisa. E por aí vai.

Estando você em uma degustação mais técnica, em um almoço em família ou até mesmo em um bar de vinhos por taça, é interessante perceber os vilões que podem interferir no seu prazer em degustar. 

QUEM SÃO OS VILÕES

1 – ALIMENTOS COM SABOR MUITO ACENTUADO

Sabe aquele Filé à Osvaldo Aranha que vem cheio de alho por cima? Vilão! Não por ele, mas pelo alho. Todos esses alimentos que possuem sabor que “roubam” outros sabores (especiarias muito fortes, vinagres, limão, sal em excesso…), impactam negativamente a nossa análise e a nossa experiência com o vinho. Você deve deixar de comer um Filé mega suculento à Osvaldo Aranha? De modo algum! Mas tente retirar um pouco do alho e intercale as suas garfadas com copos de água e alimentos mais neutros como o arroz e as batatas.

2 – TAÇAS INAPROPRIADAS

Não seremos nós, os deselegantes a recusar um vinho cordialmente oferecido por um amigo em taças de plástico. Todavia, tenha em mente que o plástico pode alterar o sabor do vinho e inibir a bebida de expressar todo o seu potencial.

Se a taça for colorida ou metálica, como você irá enxergar a coloração do vinho? Viu como não é frescura!? Taças de cristal, por serem transparentes e mais porosas e finas que as de vidro, permitem um melhor aproveitamento sensorial do que o vinho tem a nos oferecer.

Ah! Segure sua taça pela haste e não a encha até a boca. Lembre-se que para sentir os aromas do vinho, você vai precisar girá-lo dentro taça sem derramar! Então, não recuse o vinho do seu amigo, mas aproveite para ajudá-lo com mais essa informação que ele talvez desconheça!

3 – TABAGISMO

Uma atmosfera com fumaça pode comprometer não só o olfato do fumante, mas também das pessoas que estão a sua volta. Sem contar que o cigarro prejudica (e muito) o paladar daquele que mantém o hábito do fumo. Eu, particularmente, não curto nenhum tipo de fumo, mas em vez de fumar um cigarro comum, por que não experimentar uma harmonização com charutos? Eles costumam casar muito bem com licorosos e com alguns tipos de vinhos laranjas, por exemplo. 

4 – USO DE PERFUMES FORTES

Sei que é difícil resistir a tentação de usar aquele perfume maravilhoso, mas pense: da mesma forma que o odor da fumaça do cigarro compromete a atmosfera, os aromas dos perfumes também! Se você não consegue sair de casa sem aquele perfuminho que trouxe de sua última viagem, experimente utilizar perfumes mais sóbrios e borrifar um pouquinho apenas na parte de trás da cabeça, na altura da nuca. A chance do seu perfume incomodar quem sentar ao seu lado será bem menor!

5 – VINHOS SERVIDOS FORA DA TEMPERATURA IDEAL

Alguns aromas só são plenamente percebidos na temperatura correta e, geralmente, as informações de temperatura adequada ao serviço constam no contra-rótulo da garrafa. Repare na indicação sugerida pelo enólogo, pois ele é a pessoa certa para dizer como tirar o melhor proveito do vinho.

Outra questão é a temperatura do ambiente, pois ela influencia diretamente na da garrafa. Aqui no Rio de Janeiro,  o controle do serviço de um vinho tinto no verão precisa ser bem rígido. Ninguém aguenta saborear um tinto muito encorpado em uma sala ou restaurante quente. Da mesma forma, um tinto muito gelado não irá revelar todo o seu potencial aromático e gustativo! Ajuste a temperatura do ambiente e a da garrafa! Se tudo mais falhar, opte por um balde de gelo e peça um espumante! Daí não tem vilão que prejudique a sua experiência!

temperatura
Imagem: winechef.com.br

 

Como podem perceber, vinho é assim: são muitas variantes variáveis. Existem outros vilões, obviamente, até porque vinho é uma bebida viva, orgânica e que certamente exige mais de nós do que um simples refrigerante. Entretanto, o maior vilão de todos é o hábito de NÃO BEBER VINHO.

Tim-tim, amigos!

 

LEIA TAMBÉM OU ENVIE PARA UM AMIGO:

COMO COMEÇAR A APRECIAR UM VINHO EM 7 PASSOS

2 comentários sobre “Os vilões que podem roubar o seu prazer em beber um vinho!

  1. Adorei ‘Os Vilões do Vinho’.
    Sempre tive problemas em harmonizar com comidas japonesas e chineses. Acredito que seja por causa do shoyo, outro ‘vilão’.
    No máximo um espumante.
    Adorei a matéria.
    Suzel 🤗😘

    Curtir

    1. Verdade, Suze! O shoyo é muito salgado. Eu tenho harmonizado algumas comidas Thai, ou brasileiras mesmo, como bobó…indianas..com vinhos levemente mais doces, demis. E tem sido uma boa experiência. Eu sofro é com o bendito alho! Porque amo e quase não uso mais por causa do vinho rsrsrsrs

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s