Receita das Almôndegas de linguiça: a desculpa perfeita para tomar um Primitivo

Comprei no Supermercados Mundial um Primitivo di Manduria 2014. Sempre fico tensa ao comprar um vinho no Mundial. Quem é do Rio sabe que esse supermercado é barato, popular e possui uma boa oferta de vinhos, que, se bem armazenados, resultarão em um ótimo custo benefício. Eu já disse em posts anteriores que é preciso ter cautela ao comprar vinhos em supermercados, mas eu, claro, continuo comprando. Afinal, quem não arrisca, não bebe. E aí que a garrafa estava aqui. É uma garrafa imponente, pesada e que entra com dificuldade na adega.

IMG_20170406_190354
Conte di Campiano Primitivo di Manduria

Como eu precisava da desculpa perfeita para “justamente” tirá-la da adega, pensei: é hoje que essa bonita sai daí. Vou fazer a linguiça de porco da feira.

Mas,

Como sempre,

Inventando…

Para não fazer só a linguiça, decidi fazer almôndegas de linguiça. Deu super certo, com algumas observações. A avaliação do vinho está no final do post. Segue a receita!

Obs: Se você chegou aqui agora, não sou cozinheira. Aliás, só cozinho para poder tomar meu vinho com dignidade. Então, já me antecipo nas desculpas e peço que você compreenda a total ausência de técnicas e o estilo culinária de guerrilha aqui de casa.

Obs 2: Não tinha pão e não tinha ovo aqui em casa, que são ingredientes das almôndegas típicas. Então usei somente a farinha de côco que eu tinha aqui!

  • Mais ou menos meio quilo de linguiça de porco apimentada triturada (sim, passei naqueles trituradores);
  • 250 g de patinho moído, só para dar um conjunto à obra;
  • Farinha de coco;
  • Alecrim;
  • Tomilho;
  • Alho e cebola;
  • 1 lata de tomates sem pele;
  • 4 colheres de extrato de tomate;
  • Manjericão. Muito manjericão.
  • Batata baroa (fiz um purê de acompanhamento, usei 2 médias);
  • Leite para o purê;
  • Requeijão ou queijo ralado para o purê;
  • Pimentões vermelho e amarelo para acompanhar;
  • Temperos como sal e pimenta.

 

IMG_20170406_093800
A linguiça me esperando na feira
IMG_20170406_175735
Linguiça triturada

 

Como eu disse, misturei com um pouco de patinho moído para dar uma firmeza, porque a linguiça pura fica desmanchando, ela sozinha não tem muita estrutura para aguentar a bolinha da almôndega.

Eu misturei  também alecrim e tomilho picadinhos (que conferem um aroma delicioso). E pimenta do reino, claro, que nunca é demais!

Falei que não tinha pão aqui em casa, né? Então foi sem pão na mistura mesmo. E sem ovo. Toda receita de almôndegas que vejo leva isso. A minha não levou não. E tô aqui feliz da vida escrevendo pra vocês, dando uma de Ana Maria Braga.

Como eu fiz então?

Fiz as bolinhas e passei na farinha de coco para empanar antes de fritar.

Bom. Sinto informar que tudo meu é de gordo. Então eu frito as almondêgas antes de levá-las ao molho. Vai ter fritura siiiiiimmmmm e vai ter fritura pra caramba!!!

Logo quando você joga as duas primeiras bolinhas na panela (tem que jogar somente duas por vez, para não esfriar o óleo), parece que vai dar errado, que a farinha vai sair toda….calma!!!

Relaxe…aguarde…ore e confie…vai dar certo, Dionísio está com você. Keep Calm.

As almôndegas de linguiça ficam mais vermelhinhas que as de carne, lindinhas da mamãe!

IMG_20170406_184641
Bolinhas fritas

Espere.

Agora vamos ao restante do prato. Alto nível esse prato.

Descasque as batatas e coloque para cozinhar. Eu não ponho sal na água não, só depois. Tenho medo de desidratar as bichinhas. Amo Baroa, gente! São tão amarelinhas!

IMG_20170406_185347
Baroas cozinhando

Pique também os pimentões em quadradinhos, lembrando de tirar aquela parte branca que é o que dá o gostinho ruim que algumas pessoas implicam.

IMG_20170406_190739
Pimentões picados e a minha companheira querida: a taça.

Antes que eu me perca aqui na didática da receita, vamos ao molho que irá receber as almôndegas. Enquanto isso sua cozinha está: com os pimentões esperando, as almôndegas fritas esperando e as batatas no fogo. Tudo sob controle.

Refogue em uma panela com azeite ou manteiga, o alho e as cebolas picadas até dourar. Eu coloco o alho primeiro e depois a cebola. Gosto de alho dourado.

Jogue os tomates sem pele (conteúdo todo da lata) e vá amassando eles com um garfo ou com a colher de silicone para eles se dissolverem. Em seguida jogue o extrato de tomate para dar mais cor e acrescente água para aumentar o caldo. Tempere com pimenta do reino, sal e deixe ferver.

Prove. Você vai ver que está ácido. Jogue açúcar. Jogue um pouco e prove. O molho precisa ficar levemente adocicado. Levemente. Elegante. Não é um doce, é levemente. Suave. Deixe ferver.

IMG_20170406_190718
Molho ainda sem as almôndegas

Acrescente as almôndegas.

Misture as almôndegas suavemente para que elas se integrem ao molho. Deixe o molho ganhar corpo. E acrescente o manjericão.

Eu disse que era muito manjericão!

Suas batatas já devem estar cozidas, ok?

Escorra, amasse, coloque um pouco de leite e, se quiser, um pouco de requeijão, queijo ralado, cream cheese. Eu joguei cream cheese. Sim. Comida gorda, meu bem. Eu disse que seria.

Eu não sei você, mas eu, além de amassar o purê, como fazemos normalmente, ainda uso o mixer para deixar ele com aquela carinha de veludo. Acho muito chic. Mas fica a seu critério, tá? Sal, noz moscada, sei lá mais qual temperinho você acha bacana em um purê.

Hummm…o que falta? O que falta? O que falta? Ah! O pimentão!

Frigideira com manteiga ou azeite  quente e pá! Jogue os pimentões lá!

Vai sair um cheiro maravilhoso.

Pimentão tem muito perfume. E eles vão começar a liberar um pouco de água. Normal. Deixe o fogo médio para alto, não deixe baixinho não. Deixe ele ficar com aquela carinha de torradinho, sabe? Jogue um sal bem de leve.

E aí que eu também jogo uma pitada de açúcar nos pimentões. Eu sei, eu sei, é um golpe muito baixo….mas você vai comer rezando. Confia e vem comigo.

IMG_20170406_191235
O açúcar dá uma caramelizada

 

Reparem que o açúcar faz meio que uma caldinha, o que é um negócio maravilhoso. Por isso tem que colocar.

E vá deixando ele ficar torradinho e cozinhando.

O fogo agora pode estar mais baixinho, para finalizar.

E servi assim:

IMG_20170406_200852
Delícia!

 

Achei que faltou um verdinho no prato. Tranquilo, fica para a próxima!

As almôndegas ficaram mais com aspecto e gosto de Frikadellen (não sei se vocês conhecem, uns bolinhos de carne da Dinamarca), mas….dado que eu não tinha nem pão nem ovo e apenas a farinha de coco, achei ótimo! Gostoso mesmo. E sendo bem franca, conferiu um sabor diferente, não sei dizer.

A dica é ir sempre provando ao longo do processo, do preparo. Provando o sabor de tudo, de como tudo está indo.

Minha avaliação do vinho no Vivino está aqui.

E aqui o print dela:

Primitivo

Cor rubi com reflexos granada. No nariz compota de ameixas, cereja e especiarias. Muito aromático e encantador. Precisou decantar um pouquinho. Casou muito bem com almondegas de linguiça de porco, pois pede uma carne, um corpo. Não é muito persistente, mas isso em nada o diminui. Um excelente vinho. Comprei em supermercado.

 

Amei fazer e amei comer.

Já fizeram almôndegas de linguiça? O que acharam?

Contem a experiência de vocês! Vou adorar saber!

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s